Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Palcos Instáveis – Segunda Casa | Nem a própria ruína

Palcos Instáveis – Segunda Casa | Nem a própria ruína

Formação & Educação | Multidisciplinar

Theatro Circo

Pequeno Auditório
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2018
jun
09
Realizado

Duração

45 minutos

Abertura Portas

21:00

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Teatro Circo de Braga, EM, SA

Breve Introdução

Aqui ao lado há pessoas que têm algo para dizer. Fazem-no num lugar instável, onde se cruzam experiências artísticas e em contacto direto com linguagens coreográficas emergentes. São jovens, independentemente da idade, e as suas propostas muitas vezes não crescem para além da dimensão do lugar que lhes apoiou o nascimento. O Theatro Circo reconhece neles uma prática menos formatada, uma promessa do que está para vir mais pertinente do que uma reflexão do que os trouxe aqui. E por isso aproveita-se da sua maioridade e oferece-se para ser, para estas pessoas que estão aqui ao lado, a muito especial e única sua Segunda Casa.

Nem a Própria Ruína é um espetáculo de dança criado com base em 10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte, uma obra de rock progressivo e instrumental composta por José Cid em 1978. Para além de banda sonora, também a narrativa desta obra é conceptualizada como ponto de partida, uma redenção pós-apocalíptica. Como numa banda de rock, enfrentamos o desafio entre escolhas pessoais e interpessoais. Cada uma destas relações é criada e desenvolvida durante a performance, passando também elas por uma viagem de sentimentos e emoções. Havendo sempre a necessidade de ter cada um por perto mas, ao mesmo tempo, cada um querer o melhor para si próprio; o altruísmo e o egoísmo.

Direção, coreografia e interpretação: Francisco Pinho, João Dinis Pinho e Dinis Santos Música: José Cid Cenografia: Pedro Azevedo Figurinos: Filipa Melo Sonoplastia: Francisco Antão Apoio à produção: Nuno Eusébio

Partilhar
Quadrilátero
FPGS 2018 | Geral

Serviços Adicionais

Veja ainda:

CORAÇÃO CINÉFILO

Música & Festivais | Música

Theatro Circo

Sala Principal

LISA MORGENSTERN

Música & Festivais | Música

Theatro Circo

Sala Livre