Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
A MORTE DE DANTON

A MORTE DE DANTON

Teatro & Arte | Teatro

Theatro Circo

Sala Principal
Classificação Etária
A classificar pela CCE
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
out
04
Realizado

Duração

120 minutos

Abertura Portas

21:00

Promotor

Teatro Circo de Braga, EM, SA

Sinopse

"Para vencer, a audácia, a audácia, sempre a audácia!"

Todos os começos e recomeços são preciosos. Em setembro, Nuno Cardoso assina a sua primeira encenação enquanto diretor artístico do TNSJ. Este regresso a casa faz-se na companhia de um autor que marcou a sua primeira passagem pelo São João. Em 2005, reconstituiu neste palco o fragmentário Woyzeck, agora confronta-nos com A Morte de Danton, peças de Georg Büchner, dramaturgo alemão que viveu rápido e morreu jovem, o tempo suficiente para nos deixar uma obra marcada pela coragem da desordem. Büchner escreveu A Morte de Danton em estado de urgência, entre janeiro e fevereiro de 1835, recorrendo a documentos do seu tempo para nos dar conta das convulsões da Revolução Francesa. O seu olhar deteve-se na última semana de vida de Georges Danton, o líder carismático que morreu para deter a marcha do Terror e sonhar por um instante. Anatomia de um corpo ultrapassado pelo processo revolucionário em curso, lutando para lhe conferir sentido e propósito, A Morte de Danton oferece a Nuno Cardoso a possibilidade de refletir em cena sobre a ideia fundadora de Revolução como motor da sociedade contemporânea. Colocado perante a iminência da morte, Danton é uma contradição em marcha, a meio caminho entre a impotência do lamento, o mundo é o caos, e a euforia do grito: Para vencer, a audácia, a audácia, sempre a audácia!

De Georg Büchner
Encenação: Nuno Cardoso

Cenografia: F. Ribeiro Figurinos: Nelson Vieira Desenho de luz: José Álvaro Correia Sonoplastia: João Oliveira Voz: Carlos Meireles Movimento: Elisabete Magalhães Assistência de encenação: Nuno M Cardoso Dramaturgista: Ricardo Braun Com: Afonso Santos, Albano Jerónimo, António Parra, Joana Carvalho, João Melo, Mafalda Lencastre, Margarida Carvalho, Maria Leite, Mário Santos, Nuno Nunes, Paulo Calatré, Rodrigo Santos e Sérgio Sá Cunha

-
Partilhar
Quadrilátero